Ir direto para menu de acessibilidade.
Portal do Governo Brasileiro
Início do conteúdo da página
item->attribs); $video = $attributes->video; ?>

Prof.ª Dr.ª Thaís Fernanda Salves de Brito

Publicado: Terça, 26 Junho 2018 13:56

Graduação: Licenciatura em Ciências Sociais pela Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho - UNESP (1998).

Pós-Graduação

  • Doutorado em Antropologia Social pela Universidade de São Paulo/FFLCH-USP (2011).
  • Mestrado em Ciências Sociais pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (2001).

Projeto(s) de Pesquisa:

  • Tecnologias, linguagens e cultura: diálogos interdisciplinares em fluxos e tensionamentos (2017 – Atual).
  • Descrição: Diante da grande diversidade de expressões culturais, constituídas por linguagens, tecnologias e formas artísticas variadas, distintos ambientes, práticas de aprendizagem, saberes e fazeres podem dialogar com o conhecimento formal e também questioná-lo, suscitando possibilidades e desafios aos limites interpretativos. Ante a complexidade, dada pela multidimensionalidade e multiescalaridade dos fatos atuais, o estudo das ambiências culturais e tecnológicas requer o olhar interdisciplinar e dialógico, bem como o enfrentamento de tensões teórico-conceituais e metodológicas, entre as distintas áreas de conhecimento. Nesse sentido, essa pesquisa pressupõe a interdisciplinaridade como indispensável ao estudo da Cultura em suas distintas formas e expressões, caracterizando a produção de conhecimento a que se propõe o Programa de Pós-Graduação Interdisciplinar em Cultura, Linguagens e Tecnologias. Em conformidade com essa perspectiva, sabe-se que essa atuação interdisciplinar não é dada a priori, mas por um processo de enfrentamento e conquista, a ser empreendido por uma equipe heterogênea de pesquisadores em meio a um contínuo debate epistemológico. Nesse contexto e partindo de tais pressupostos, essa pesquisa objetiva estudar as formas expressivas das cosmologias e devires do fazer da Cultura, em seus fluxos e tensionamentos, bem como em suas espacialidades, temporalidades, trânsitos e sociabilidades. Para tanto, são definidas as seguintes questões: a) De que maneira diferentes tecnologias constroem e transformam espacialidades, temporalidades, trânsitos e sociabilidades do fazer da Cultura?; 2) Como se dão os fluxos e tensionamentos das cosmologias e devires do fazer da Cultura? Entende-se que o estudo de culturas, de saberes e fazeres culturais em seus devires, requer a compreensão das tecnologias produzidas e das linguagens expressas por diferentes coletividades, em distintas espacialidades e temporalidades. As tecnologias são entendidas aqui pelas ambiências que produzem, e as linguagens, por suas múltiplas formas e expressões. Para alcançar o objetivo, responder às questões norteadoras e assegurar uma atuação necessariamente interdisciplinar definem-se nesse projeto de pesquisa as seguintes estratégicas metodológicas: a) seminário expositivo e avaliativo por questão norteadora com a participação de todos os pesquisadores; b) multiplicidade metodológica.
  • Espaço em articulação: fragmentos, narrativas e representações em torno das ruínas da metalurgica Trzan (2014 - Atual).
  • Descrição: As ruínas do edifício da metalúrgica Trzan é o local onde, após intervenção, recuperação, restauro e reconstrução será ocupado pela UFRB/CECULT para instalação do Campus Santo Amaro/BA. Vale destacar que junto a esta intervenção, reacendeu a ideia de um novo espaço público e de investimento intelectual na cidade. Ideias estas que vão sendo construídas coletivamente à medida que a população vislumbra outras possibilidades para as antigas ruínas: (a) um local institucionalizado de saber, (b) um bem cultural, fazendo assim convergir à população ao local, à memorização de um passado comum e de um modelo de cidade que se ansiava desde então, (c) novos estímulos de sociabilidade e, também, (d) um lugar de disputa territorial e de autoridade. Desse modo, nossa hipótese é que a sobrevivência destas ruínas revele sobreposições de tempos distintos, de atribuições de sentido e de representações, de fluxos de imagens, de experiência do sujeito com o mundo e de intervenção com a paisagem.
  • Narrativas silentes (2017 - Atual).
  • Descrição: Acompanhados de um sentido imanente, os trabalhos artesanais com linhas e agulhas apresentam“narrativas silentes”. Tecer, rendar, bordar são atividades que têm atravessado os séculos revelando modelos de trabalho doméstico, ensinando perspectivas de gênero e atributos morais na arte do fazer criativo, são parte do universo da cultura material, apontam sistemas simbólicos e podem ser entendidos como um resultado visível de técnicas e de práticas sociais comunicando-se com padrões e perspectivas mais amplas e que estão em constante circulação. São artefatos que trazem consigo uma apropriação dos modelos culturais e de leituras sobre a natureza, concebidos por uma forma de linguagem não-verbal.

    O ponto de partida desta investigação são as representações estéticas nos tecidos, fruto da sobreposição artística que une materialidade e sensibilidade, mobilidades e diásporas, leituras pessoais e coletivas sobre as práticas artesanais de produção. A partir das narrativas das artesãs brasileiras, interessa-nos percorrer os discursos que elas organizam sobre as rotas estéticas que geram os estilos de seus trabalhos. Trata-se de uma investigação de natureza exploratória com o objetivo de organizar, reordenar e comunicar os artefatos e as imagens sobre estes artefatos e para tal propõe-se a produção de um filme etnográfico que promova uma intencionalidade simultaneamente investigativa e sensível.

    Em um exercício experimental, os registros e a linguagem etnográfica poderão, por meio da montagem do vídeo, produzir algo além das imagens captadas, uma vez que o filme torna acessível a sobreposição dos artefatos, das imagens e das narrativas produzidas sobre a cultura material têxtil, não limitadas ao contexto textual ou geográfico.

Acesso ao Currículo Lattes.

Fim do conteúdo da página