Ir direto para menu de acessibilidade.
Portal do Governo Brasileiro
Início do conteúdo da página

Extensão

  • ManduCA - Mostra de Cinema Infantojuvenil de Cachoeira

A I Mostra de Cinema Infantojuvenil de Cachoeira ocorreu entre os dias 22 e 25 de março de 2018, no Cine Theatro Cachoeirano, no Auditório Leite Alves, do Centro de Artes, Humanidades e Letras – CAHL/UFRB, e na Praça Jardim Grande. O nome da Mostra se refere a uma marca da cultura popular da cidade, os Mandus, bonecos mascarados que desfilam na Festa de Nossa Senhora D'Ajuda. A I ManduCA  apresentou um painel de filmes para crianças e adolescentes com o recorte temático da relação entre pais/mães e filhos/as. O objetivo é potencializar o diálogo, desde a infância, com toda a comunidade acadêmica e o público do Recôncavo Baiano, sobre o universo de produção e reflexão das imagens. Realizada pelo Grupo PET Cinema UFRB, alia-se a Mostra com a temática anual do Projeto de Pesquisa do grupo, levantando as questões que atravessam diferentes campos da vida social - como família, cultura, trabalho e política - e são caras na formação do sujeito. Ou seja, a Mostra visava ser uma ponte entre o espaço público das instituições cinematográfica e de ensino e o espaço privado da instituição familiar. 

A Mostra contou com uma itinerância, formando parcerias com o Festival Mimoso de Cinema, oeste da Bahia, e o Circuito Penedo de Cinema – AL.

Estamos preparando a II ManduCA, que ocorrerá entre 6 e 10 de novembro de 2019, com a temática "Infância, juventude e território no audiovisual".

Coordenação: Ana Paula Nunes. Financiadores: Fundo Nacional da Educação (FNDE), por intermédio das bolsas do Programa de Educação Tutorial - PET Cinema.

Site:http://www.petcinemaufrb.com/

 

  • Cine Virada - Festival Universitário da Bahia

O Cine Virada vem mantendo sua atividade de promoção, discussão, divulgação, e difusão de filmes realizados em universidades baianas, ampliando em sua última edição para as nordestinas.O Festival contribui para a reflexão acerca das formas de produção, da linguagem, das estéticas, das temáticas, e da distribuição da cinematografia universitária, bem como cria canais de discussão e contribuição entre realizadores(as), pesquisadores(as), distribuidores(as). Portanto, com o intuito de aprofundar a discussão sobre os filmes produzidos a partir dos cursos de Cinema e Audiovisual nas universidades baianas, almeja-se dar ênfase a produção universitária local e regional, a fim de ser uma janela de exibição e promoção para os filmes realizados na UFRB e em todo o estado da Bahia.

Coordenação: Ana Paula Nunes. Financiadores: Fundo Nacional da Educação (FNDE), por intermédio das bolsas do Programa de Educação Tutorial - PET Cinema.

Site:http://www.petcinemaufrb.com/

 

  • SCRIPT DOCTOR DO LABORATÓRIO DE DRAMATURGIA

O projeto de Extensão “Script Doctor do Laboratório de Dramaturgia”, nascido dentro do já registrado Núcleo de Pesquisa, constitui-se em uma iniciativa cujo fim é prestar serviço junto à comunidade acadêmica da UFRB e, também, àqueles que já possuem a prática na escrita de roteiro e necessitam de um espaço para aprofundar as discussões em torno da dramaturgia. ´Trata-se de um fórum aberto, constituído de professores e alunos da UFRB, convidados externos, convocados a prestar uma consultoria gratuita e interessada no encaminhamento crítico sobre os procedimentos estilísticos, dramáticos e estruturais da obra colocada em questão, roteiros ainda em seu primeiro tratamento ou em fase de escrita, realizados dentro e fora da faculdade.

                        O procedimento de consultoria, hoje, dentro do espectro cinematográfico, é cada vez mais uma etapa incontornável do processo de construção fílmica. E, há muito, deixou de ser um  programa sem nenhum reflexo no produto final: curtas, médias e longas-metragens que chegam às telas passaram pelas mãos de consultores enquanto ainda estavam sendo roteirizados. Inúmeros festivais Nacionais e Internacionais, como o Panorama Internacional Coisa de Cinema, possuem esta prática, assim como eventos especialmente realizados com esse fim, como a FRAPA, Festival de Roteiro da América Latina, o que demonstra a preocupação cada vez mais evidente dos realizadores com a excelência da dramaturgia e a percepção de que o roteiro não é uma etapa a ser desconsiderada dentro dos trâmites de produção cinematográfica.

            Como professores de Roteirização, os líderes do Núcleo de Pesquisa em Dramaturgia, Guilherme Sarmiento e Roberto Duarte, sentiram a necessidade de trazer para a UFRB esta prática   com fins de valorizar a dramaturgia e auxiliar o corpo discente em sua escrita cinematográfica. Inicialmente, a iniciativa visa ser um espaço aberto para os alunos matriculados no curso de cinema exporem publicamente suas criações e, através de um processo de consultoria aberto e democrático, obtiverem um retorno que seja positivo para a continuidade e finalização de suas ambições como roteiristas e cineastas. Além disso, o Script Doctor visa, como propõe todo projeto de extensão, atingir a comunidade externa, ao prestar esse serviço aos profissionais da área que encaminhem seu projeto para consultoria após o anúncio de um edital elaborado especialmente para este fim, previsto dentro do cronograma de realização.

Coordenadores: Guilherme Sarmiento e Roberto Duarte 

 

  • O CachoeiraDoc – Festival de Documentários de Cachoeira é realizado anualmente, no segundo semestre, na cidade de Cachoeira.

O festival, realizado desde 2010, abriga mostra competitiva nacional, mostras especiais, ciclos de conferências, oficinas e apresentações artísticas. O projeto é uma oportunidade para a afirmação e a renovação da tradição documental com a exibição das obras de importantes realizadores do Brasil e do mundo como Pedro Costa, Johan Van der Keuken, Agnés Varda e Jia Zhangke. O documentário enquanto domínio cinematográfico é  debatido e vivenciado através da partilha e do encontro. Para o festival já vieram importantes nomes do campo documental, como Vincent Carelli, Consuelo Lins, Cezar Migliorin, Marcelo Pedroso e Geraldo Sarno. O objetivo é promover o documentário, um dos gêneros cinematográficos que mais se expande no mundo contemporâneo, tecendo reflexões éticas e estéticas sobre as relações entre o cinema e o real.

Alunos envolvidos:  Graduação: (20). 

Coordenação: Amaranta Cesar e Ana Rosa Marques.

 

  • Imaginários do mangue: ação e formação cinematográfica nas comunidades quilombolas do Vale do Iguape 

Conceber e realizar um filme de curta-metragem ficcional com e nas comunidades quilombolas do Vale do Iguape, a partir de oficinas de linguagem audiovisual, fotografia, som para cinema, teatro e memória, envolvendo alunos e professores da Escola Municipal Rural do Iguape, dos membros do Terreiro de Candomblé Ilê Axé Obitiko Obáinan Nação Nagô – Casa de força de Xangô, o rei do fogo, bem como das crianças, os jovens, os adultos e os idosos moradores das comunidades de Santiago do Iguape e do Kalembá.

Coordenação: Amaranta Cesar  (2015-2018) 

 

  • CineCachoeira  – Revista de Cinema e Audiovisual da UFRB – um espaço para o exercício da livre crítica cinematográfica, ensaios, artigos e entrevistas.

No ar desde novembro de 2010, a revista eletrônica Cinecachoeira http://www.ufrb.edu.br/cinecachoeira/ procura integrar o curso de cinema da UFRB a um contexto de renascimento da crítica cinematográfica, sobretudo na internet, aproximando professores e alunos de uma vivência orgânica com a sétima arte. A partir de uma perspectiva que contempla os mais variados formatos textuais, sem hierarquias – a crítica, o ensaio, os estudos acadêmicos, a crônica, a entrevista –, a revista traz, a cada semestre, dossiês temáticos que contemplam a história e a divulgação do cinema brasileiro moderno e contemporâneo, fomentando a pesquisa em arquivos, bem como estimulando o debate em torno dos realizadores e das obras. 
A revista tem aberto diálogos importantes com pesquisadores de outras universidades e instituições brasileiras, bem como envolvendo os alunos num processo de análise e pesquisa a cada nova edição. 

Desde sua estreia, já publicou artigos de importantes nomes da teoria e crítica cinematográfica nacional e internacional, como, Jacques Aumont, Ismail Xavier, Ana Pessoa, Luís Alberto Rocha Melo, Michel Marie, Roberto Moura, André Setaro, dentre outros, bem como publicando textos de inúmeros interessados em exercitar a escrita. Além disso, promovemos no lançamento exibições de filmes, bem como homenagens que valorizam os atores e realizadores baianos. Antônio Pitanga, Helena Ignez e Karin Ainouz foram alguns dos homenageados na revista nestes oito  anos de existência.

Coordenação editorial: Guilherme Sarmiento

 

  • Registros da história e da memória familiar das comunidades tradicionais do Recôncavo da Bahia

Projeto de Extensão, premiado pelo edital PROEXT do MEC, que tem por objetivo  documentar o patrimônio cultural das comunidades negras tradicionais do Vale do Iguape, fomentando a produção de autorrepresentações, através do cinema e audiovisual.

2010-2012

Coordenação: Amaranta Cesar  (2015-2018) 

 

  • Semana de Pesquisa e Extensão de Cinema e Audiovisual

A fim de contribuir com o estreitamento dos laços entre a comunidade acadêmica do Centro de Artes, Humanidades e Letras e os alunos recém ingressos do curso de Cinema e Audiovisual, bem como promover o curso e a sua produção (teórica-técnica-artística) para a comunidade na qual está inserida (Cachoeira e São Felix), o colegiado de cinema promove a Semana de Pesquisa e Extensão de Cinema e Audiovisual.

A Universidade Pública deve ser entendida por meio de suas ações de ensino, pesquisa e extensão. A Semana apresenta e discute as múltiplas dimensões dos processos de criação e produção dos saberes no campo audiovisual, como forma de ampliar a formação dos nossos alunos.

A participação dos egressos tem demonstrado que a área de formação dos nossos alunos contempla as quatro diretrizes do MEC para o curso de Cinema: teórico, técnico-artítico, autoral e empreendedorismo.

A Semana de Pesquisa e Extensão é um momento do nosso calendário acadêmico que tem o intuito de fomentar a integração, a autorreflexão sobre a nossa produção cientítica e artística, bem como estimular o quanto antes, o interesse e engajamento dos discentes nos projetos de pesquisa e extensão do CAHL.

Coordenadoras: Angelita Bogado e Ana Paula Nunes

 

  • Sonatório - Projeto de Pesquisa, Prática e Experimentação Sonora

 SONatório (2014-2019)

O Laboratório de Pesquisa, Prática e Experimentação Sonora - Sonatório é um projeto de extensão da Universidade Federal do Recôncavo da Bahia- UFRB, vinculado ao grupo de pesquisa LinkLivre, que visa promover: reflexões acerca do nosso ambiente sonoro e de criações sonoras por meio de pesquisas em Paisagem Sonora/Soundscape e Territórios Sonoros, Cartografias Sonoras; práticas em captação e preservação de sons locais; ciclos de oficinas de som para a comunidade do Recôncavo Baiano; experimentações por meio da técnica de improvisação sonora por gestos – Soundpainting e apresentações de Live Cinema.

Ações do Sonatório:
- Pesquisas em Paisagem e Territórios Sonoros; Ecologia Acústica e Criação Sonora;
- Ciclos de Oficinas de Som voltadas à comunidade do Recôncavo Baiano;
- Criação e desenvolvimento do Mapa Sonoro de Cachoeira;
- Apresentações Artísticas (Soundpainting e Live Cinema) e
- OLAPSO, Orquestra de Laptops do Sonatório - UFRB.

Palavras-chave: som, ambiente sonoro, educação sonora, composição sonora, sons do Recôncavo/Cachoeira, orquestra de laptops

Sites:

Site principal: www.sonatorio.org

Vídeos: http://sonatorio.org/galeria/galeria-videos/

Fotos: http://sonatorio.org/galeria/galeria-fotos/

Mapa Sonoro de Cachoeira: http://sonatorio.org/mapa-sonoro-de-cachoeira

Eventos realizados pelo SONatório: http://sonatorio.org/eventos/

email: O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo.

página no facebook: https://www.facebook.com/olapsonatorio/

instagram: http://instagram.com/sonatoriooo

Coordenação: Ana Paula Nunes. Projeto realizado com bolsa Pibex

 

Cine clube Mário Gusmão

Realiza exibições gratuitas no Cine-Theatro Cachoeirano e em espaços públicos de Cachoeira, com distribuição de textos críticos e debates com convidados.

Estimula a prática cineclubista, com a realização de mostras e a exibição gratuita de filmes, sempre às quartas, com foco no cinema produzido na Bahia e no Brasil, e em países de cinematografia não hegemônica. Atualmente, as sessões são realizadas no Cine-Theatro Cachoeirano e em espaços públicos. Envolve a pesquisa, curadoria, formação de acervo, produção, distribuição, exibição, crítica, formação e mediação de debates com convidados. Pretende ser um espaço aglutinador de trocas e experiências entre estudantes, professores e técnicos do Centro de Artes, Humanidades e Letras e a comunidade local. O nome é uma homenagem ao ator negro, cachoeirano, Mário Gusmão. Desde 2012, realiza, anualmente, a mostra competitiva nacional do Panorama Internacional Coisa de Cinema em Cachoeira e, em 2013, lançou a Caixa Anjo Negro: Cineclube Mário Gusmão 2010-2011, com 43 curtas baianos, catálogo de críticas e encarte para educadores distribuída para cineclubes, escolas e instituições culturais. Alunos envolvidos: (08). 

Coordenação: Marceko Matos

Financiador(es): Ministério da Educação e Cultura – Bolsa Pibex.

 

Projetos já Realizados

 

2018 – A análise fílmica e a fotografia

A professora de fotografia cinematográfica, da Universidade Federal Fluminense, Dra. Marina Tedesco, apresentou sua pesquisa relacionando a análise fílmica e a fotografia em uma palestra de 4h de duração, no dia 31 de janeiro de 2018. A palestra integrou as atividades da disciplina Análise Fílmica, do Curso de Cinema e Audiovisual do CAHL/ UFRB. A docente visitante evidenciou a importância da análise fílmica para qualquer atividade de pesquisa no campo do cinema e do audiovisual, especificamente para o desenvolvimento de um olhar crítico sobre a história da técnica e do estilo na fotografia cinematográfica, implicando em questões relevantes de representação, por exemplo, de gênero.

Coordenação: Ana Paula Nunes (UFRB) e Marina Tedesco (UFF)

 

2017 – X Mostra Interestadual do Cinema Paraibano. Mostra! Mostra! Mostra!

Nos dias 15 e 16 de Agosto de 2017, o Projeto Cinestésico – Cinema e Educação, em parceira com o PET CINEMA UFRB, realizou uma mostra com dez curtas-metragens paraibanos, no auditório do Centro de Artes, Humanidades e Letras – CAHL, seguida de mesa de discussão com Virginia Gualberto. Os curtas reúnem a produção de cineastas veteranos e da nova geração, sendo exibidos e debatidos 5 filmes por cada dia da X Mostra. Receber a X Mostra Interestadual do Cinema - Mostra! Mostra! Mostra! propiciou um contato com o cinema paraibano, estendendo ligações entre realizadores nordestinos, e um debate sobre os conteúdos e as temáticas dos filmes de consagrados cineastas paraibanos, bem como da recente produção paraibana, da Zona da Mata ao Sertão, passando pela Borborema e pelo Agreste Paraibano. O debate permeou também as formas de produção, mercado e distribuição de cinema no nordeste, propiciando o pensar em novas formas de distribuição, estéticas, produção de conteúdo, além de incentivar o movimento cineclubista e o contato com outros coletivos e parcerias.

Coordenação: Ana Paula Nunes (UFRB) e Virgínia Gualberto (UFPB)

2010 – 2013 Quadro a Quadro

O Projeto Quadro a Quadro conjugou ações de ensino, pesquisa e extensão, objetivando a integração da comunidade acadêmica do Centro de Artes Humanidades e Letras (CAHL) com a comunidade local do Recôncavo Baiano, através do cinema e do audiovisual na educação formal. O Projeto desenvolveu experiências audiovisuais na comunidade escolar, com dois tipos de ação principais: Sessão Escola, exibição de filmes infanto-juvenis, no auditório do CAHL, para estudantes da educação básica das cidades de Cachoeira e de São Félix; e o Grupo de Estudos e Práticas em Cinema e Educação (GEPCE), que se responsabilizava pelo desenvolvimento do aporte metodológico/didático para a realização de oficinas e pela publicação do conhecimento produzido com os estudos e práticas envolvidas neste projeto, sempre se adaptando às demandas locais.

Coordenação: Ana Paula Nunes.

Alunos envolvidos: 13 graduandos.

Financiador(es): Ministério da Educação e Cultura – Bolsa Pibex.

Site:  http://projetoquadroaquadro.wordpress.com

 

PET Cinema

O PET Cinema da UFRB é o único Programa de Educação Tutorial (PET) de curso de cinema e/ou audiovisual, dentre as mais de 800 unidades no território brasileiro. O Grupo foi criado pela profa. Rita Lima em dezembro de 2010. Desde 2017, sob nova tutoria, centra suas pesquisas e ações em torno da interface Cinema e Educação. Algumas ações que se solidificaram desde o início do PET permanecem, como: o Festival de Cinema Universitário da Bahia - Cine Virada e a Revista +Cinemas. A principal mudança foi a escolha de um tema transversal que oriente todos os estudos e práticas ao longo do ano convergindo para uma mostra intantojuvenil. A primeira temática, "Ética e estética na relação entre pais/ mães e filhos/as no cinema e audiovisual", guiou a pesquisa, a curadoria, as produções escritas e audiovisuais, além das oficinas, culminando na I Mostra de Cinema Infantojuvenil de Cachoeira - ManduCA (março de 2018). Desta forma, buscamos articular ações de ensino, pesquisa e extensão com a cultura cinematográfica. O objetivo é que o diálogo com os filmes enriqueça tantos os estudantes de cinema quanto os espectadores de todas as idades, com compreensão de si e do mundo; que a curadoria atue como um dispositivo contra a tradição da história única (o pensamento único). O PET Cinema representa um espaço precioso de aprendizagem para os 12 bolsistas envolvidos e tutora.

Tutora: Ana Paula Nunes

Saiba mais:

Site – http://www.petcinemaufrb.com/

Facebook e Instagram - @petcinema

E-mail – O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo.

 

Revista + Cinemas

A Revista +Cinemas faz parte das atividades do Programa de Educação Tutorial - PET Cinema UFRB desde a criação do grupo, em 2010, sob tutoria da profa. Rita Lima. A partir de 2017, o grupo passou a ter uma nova tutora, a profa. Ana Paula Nunes. O número 6 da revista, portanto, representou o primeiro número de uma nova configuração, associada ao grupo de pesquisa “Quadro a Quadro: projetando ideias, refletindo imagens”.

A Revista +Cinemas, ISSN 2595-9921,é uma publicação que tem como compromisso incentivar a produção interna do grupo, bem como divulgar artigos externos, ensaios, entrevistas e outras modalidades de produção textual e visual, que tenham como escopo o cinema, o audiovisual e a educação.

A periodicidade da revista é anual, com dossiês temáticos e seções fixas.

Coordenação geral: Ana Paula Nunes

Editor: Matheus Leone

Projeto gráfico: Fernanda Mathieu

Diagramação: Gabriel Paz

Conselho editorial: Ana Paula Nunes (UFRB), Alexandre Guerreiro (UFF), Geraldo Pereira Júnior (UFRJ), Angelita Bogado (UFRB), Daniela Matos (UFRB), Eliany Salvatierra (UFF).

Site: https://revistamaiscinemas.blogspot.com/

 

2012-2013
Caixa Anjo Negro: Cineclube Mário Gusmão 2010-2011 (cinemariogusmao.com.br) 
Distribuição de caixa com 43 curtas baianos, catálogo de críticas e encarte para educadores

Produção, lançamento e distribuição de box com 4 DVDS com 43 filmes de curta-metragem baianos exibidos na mostra Curtas Baianos um panorama 1954-2010, encarte para educadores (as), extras sobre o ator negro cachoeirano Mário Gusmão, incluindo o documentário Odu, de Evandro de Freitas e Cyntia Nogueira, e catálogo com 27 críticas cinematográficas produzidas por jovens cineclubistas ao longo de um ano de atividade do Projeto de Pesquisa e Extensão Cineclube Mário Gusmão, em Cachoeira. Alunos envolvidos Graduação: (28). Coordenação: Cyntia Araújo Nogueira.Coordenação de conteúdo pedagógico: Ana Paula Nunes.Coordenação identidade visual: Carolina Fialho. Financiador(es): Fundo de Cultura da Bahia – Auxílio financeiro.

 

2010 – 2013
Quadro a Quadro http://projetoquadroaquadro.wordpress.com

O cinema e o audiovisual na educação formal do território do Recôncavo da Bahia.

Realizado a partir de 2010, o projeto Quadro a Quadro tem como objetivo a integração da comunidade acadêmica do Centro de Artes Humanidades e Letras (CAHL) com a comunidade local do Recôncavo Baiano, através do cinema e do audiovisual na educação formal. O Projeto desenvolve experiências audiovisuais na comunidade escolar, com dois tipos de ação: Sessão Escola, exibição de filmes infanto-juvenis para estudantes da educação básica das cidades de Cachoeira e de São Félix; e o Grupo de Estudos e Práticas em Cinema e Educação (GEPCE), que se responsabiliza pelo desenvolvimento do aporte metodológico/didático para a realização de oficinas e publicação dos resultados das investigações teóricas e práticas. Alunos envolvidos: Graduação: (7). Coordenação: Ana Paula Nunes. Financiador(es): Ministério da Educação e Cultura – Bolsa Pibex.

 

2010 – 2012
Cinecaos

O cinema e o saber local

A universidade sendo formada e a cidade sendo transformada. Tudo isso num mesmo tempo, ainda que sejam “diferentes”, ainda que cada uma adote um olhar e uma utilidade do tempo condizente a si, elas se encontram num espaço e tempo social e é impossível negar que a relação entre a universidade e a cidade não exerça influência uma sobre a outra. Contudo, a fim de contribuir para estreitar os laços entre a universidade e a cidade (bem como o desenvolvimento de ambas), estudantes do Centro de Artes Humanidades e Letras promoveram o Cine Caos, um cineclube que propôs debates de diversos temas, utilizando como recurso a linguagem audiovisual. Foram exibidos filmes que buscaram estimular o senso crítico através da leitura e da discussão das obras, como forma de promover o desenvolvimento de uma cidadania plena. Além das exibições o Cine Caos realizou oficinas de linguagem cinematográfica e técnicas de roteiro onde as crianças realizaram diversos exercícios audiovisuais. Alunos envolvidos: Graduação: (3). Coordenação: Angelita Bogado.  Financiador(es): Ministério da Educação e Cultura – Bolsa Pibex.

2010-2011
Sensibilização e formação audiovisual de comunidades escolares do Recôncavo Baiano.

O projeto “Sensibilização e formação audiovisual de comunidades escolares do Recôncavo Baiano” busca incentivar estudantes e professores de escolas públicas de Cachoeira e São Félix a participar das  atividades do Festival de Documentários de Cachoeira, assim como selecionar e capacitar as comunidades escolares para o uso do audiovisual em sala de aula através da exibição de documentários e realização de práticas audiovisuais. No projeto foi realizado um documentário intitulado “Do mesmo lado”. Alunos envolvidos: Graduação: (3). Coordenação: Ana Rosa Marques.Financiador(es): Ministério da Educação e Cultura – Bolsa Pibex.

2009 – 2011
Plug – Programa de Disseminação do Software Livre em Escolas Públicas do Recôncavo

O programa propõe três projetos integrados cujo objetivo é disseminar a cultura do software livre, contribuindo na inserção da informática nas escolas municipais de Cachoeira e São Félix (Bahia), por meio de três frentes principais de atuação: a sensibilização de profissionais da educação para o debate do papel das tecnologias da informação e comunicação (TIC) na sociedade contemporânea, seu vínculo com a educação e com a comunicação, em especial nos debates que envolvem o software livre (SL), a apropriação social do conhecimento e dos recursos tecnológicos; capacitação de extensionistas multiplicadores para atuarem na formação de estudantes de ensino fundamental das últimas séries das escolas municipais para uso da informática em base operacional e aplicativos SL; e trabalho de capacitação com professores da rede municipal para uso de aplicativos SL e enfoque experimental na produção de materiais de comunicação impressa e multimídia focados em comunicação comunitária. A proposta se move pela relevância da cultura livre e da apropriação do conhecimento, do papel estratégico das TIC e a importância de fomentar um modelo de comunicação voltada à comunidade, à inclusão social, aproximando estudantes da graduação do cotidiano local e seus problemas e explorando o potencial de uma era pós-mídia. Alunos envolvidos: Graduação: (24). Líder: Rita de Cassia Dias Pereira de Jesus. Coordenadores: Angelita Maria Bogado, Cláudio Manoel Duarte de Souza. alho – Integrante / Wille Marcel Lima Malheiro – Integrante. Financiador(es): Ministério da Educação e Cultura – Auxílio financeiro.

 

Cibercidade: por uma cultura da participação no turismo em Cachoeira e São Félix

http://www.ufrb.edu.br/turismo/

Cachoeira e São Félix carecem de guias turísticos, informações turísticas em placas, folhetos ou mesmo sites na Internet. Quando os turistas chegam, têm dificuldade de encontrar os locais mais significativos em termos históricos e culturais, além de uma fragilidade no uso de línguas estrangeiras por parte da população. Para suprir a deficiência turística e tendo-se em vista a importância da região para o país e até mundialmente, já que é referência para muitos brasileiros e estrangeiros, busca-se desenvolver o projeto Cibercidade: por uma cultura da participação no turismo em Cachoeira e São Félix. em parceria com as prefeituras dos municípios beneficiários, cuja ação principal resulta em um site contendo informações básicas sobre os lugares, acessíveis por meio de placas disponibilizadas nos principais pontos turísticos, se possível através de QR Code (Código de barras em 2D, acessível por dispositivos móveis) para facilitar o acesso. Além de obterem dados sobre os lugares visitados, os turistas ainda poderão contribuir com o site enviando suas fotos e vídeos nos locais, suas impressões, etc. Projeto vinculado ao Grupo de Estudos e Práticas Laboratoriais em Plataformas Livres e Multimeios LinkLivre.

Coordenação: Cláudio Manoel Duarte de Souza e Rachel Severo Alves Neuberger.

 

Episódio piloto para a série educacional em animação A Turminha Kirimurê

Realização do episódio piloto A Turminha Kirimurê, série com enfoque educacional realizada em animação computacional para projeção fulldome, concebida para estimular o interesse das crianças pela pesquisa científica em geral e pela re-descoberta crítica do espaço em que habitam. A temática escolhida é a Baía de Todos os Santos, acidente geográfico que define e determina por sua complexidade esta região. Os episódios da série são criados a partir de pesquisas multidisciplinares do Projeto Baía de Todos os Santos, em especial da coleção paradidática “Cartilhas BTS”. O episódio piloto da série infanto-juvenil em animação “Turminha Kirimurê” entrará permanentemente para o acervo de produções fulldome do planetário Museu Parque do Saber, em Feira de Santana. Alunos envolvidos: Graduação: (15). 

Coordenação: Adriano Anunciação Oliveira. Financiador(es): Fundo de Cultura da Bahia – Auxílio financeiro.

Formação audiovisual de comunidades escolares do Recôncavo Baiano

O projeto “Formação Audiovisual de Comunidades Escolares”- Cinema na Real busca criar uma cultura de cinefilia no campo documental e fomentar o debate e a reflexão a partir de filmes documentários entre estudantes e professores de escolas públicas de Cachoeira e São Félix. Alunos envolvidos: Graduação: (03). 

Coordenação: Ana Rosa Marques.

 

Formação e Qualificação em Cinema e Educação

http://www.ufrb.edu.br/cinemaeducacao/

Seminário, curso, oficinas e mostras para docentes da educação básica e superior do Recôncavo e Vale do Jequiricá.

Projeto de Formação e Qualificação em Cinema e Educação, voltado para docentes da educação básica e superior do Recôncavo e Vale do Jequiriçá, realizado pela Pró-Reitoria de Extensão da UFRB em parceria com cineclubes da UFRB, em Amargosa e Cachoeira. Objetiva apresentar aos docentes o cinema como uma forma crítica, sensível e contextualizada de produzir conhecimento em espaços escolares e em comunidades rurais e tradicionais, compreendendo o cinema e o audiovisual como mediadores dos processos de aprendizagem. Nossa proposta é constituída por eventos integrados e indissociáveis – seminário, curso de extensão e oficinas e mostras de cinema, perfazendo uma carga horária total de 120 horas. O público alvo é constituído por professores do ensino fundamental, médio e superior e estudantes. Alunos envolvidos: Graduação: (2). 

Coordenação:Cláudio Manoel Duarte de Souza. Financiador(es): Fundo de Cultura da Bahia – Auxílio financeiro.

 

Narrativas em Fluxo

O projeto “Narrativas em Fluxo” tem como objetivo manter um fórum permanente de debates e discussão de diferentes expressões artísticas. Suas atividades estão circunscritas em realizar  leituras de portfólios, arquivos e dossiês, organizar mostras, palestras, curadorias e apresentações artísticas em diferentes espaços da cidade de Cachoeira. Promovendo a difusão de estudos nas diversas linguagens artísticas, incitando reflexões sobre a produção dos atores envolvidos em seu contexto social, permitindo dessa forma, uma relação mais estreita entre processo criativo dos artistas do recôncavo baiano e a comunidade local ao passo em que fomenta as pesquisas acadêmicas do Centro de Artes, Humanidades e Letras. Alunos envolvidos: Graduação (5). 

Coordenação: Danillo Barata

Paisagem Sonora – Mostra Internacional de Arte Eletrônica

Mostra anual de arte eletrônica, realizada pela primeira vez em 2013, em Cachoeira, presta uma homenagem ao pesquisador  canadense Murray Schafer, criador das expressões “ecologia acústica”, “esquizofonia”, “som fundamental” e “paisagem sonora”. Nesse sentido, apresentamos um panorama de autores que utilizam o vídeo e a música como estratégia discursiva. O compartilhamento de repertórios, incorporação de métodos de esgarçamento das linguagens e, sobretudo, o rompimento de limites de um certo ensimesmamento são a tônica das performances. Com efeito, tais ações, aproximam-se do conceito de “campo expandido” e “cinema expandido”, o primeiro formulado pela teórica Rosalind Krauss, para caracterizar a nova escultura, que incorpora materiais e procedimentos os mais diversos e o segundo formulado por Gene Youngblood, que trata de uma série de experiências que rompem com os espaços formais do cinema. Alunos envolvidos: Graduação: (15). 

Coordenação: Danillo Barata e Cláudio Manoel Duarte de Souza. Financiador(es): Fundo de Cultura da Bahia – Auxílio financeiro.

Rede Nordeste de Cinema Universitário – Circuito de cinema que integra a produção audiovisual das universidades públicas do Nordeste

Construção de um circuito de cinema que integre a produção audiovisual das universidades públicas do Nordeste. Criada em 2012, a Rede Nordeste de Cinema Universitário é um fórum de exibição e discussão que tem como meta pensar e disseminar essa produção específica através de ações conjuntas, permitindo a criação dos meios de circulação e acesso aos filmes e vídeos denominados “universitários”, geralmente com um perfil mais experimental e artístico, bem como conteúdos de arte-mídia afins com o formato. Levando em conta a digitalização da produção audiovisual e a consequente expansão da forma cinema, pretendemos fazer um mapeamento das formas tecnológicas alternativas, pelo uso de softwares criativos, na redefinição do alcance do que seria uma rede digital, que transcenda os modelos de distribuição tradicionais das salas de exibição e dessa forma redesenhe os limites estéticos entre formatos e propostas artísticas da produção audiovisual dessas redes. 

Coordenadores:Guilherme Sarmiento e Rita Lima.

Registros da história e da memória familiar de comunidades negras tradicionais do Vale do Iguape

Iniciado em 2011, tem como objetivo produzir o registro da memória e do cotidiano de comunidades negras tradicionais do Vale do Iguape, através de oficinas de história e linguagem audiovisual. Envolve alunos e professores das escolas da rede pública de ensino local, bem como as crianças, os jovens, os adultos e os idosos moradores da comunidade. O resultado são filmes documentais realizados coletivamente por estudantes do curso de Cinema e Audiovisual e jovens da comunidade quilombola de Santiago do Iguape, que vem circulando já em mostras, festivais e cineclubes. Um DVD com os documentários está sendo produzido para distribuição em escolas, cineclubes, associações e instituições de educação e cultura do Recôncavo. O projeto é interdisciplinar e agrega os cursos de Cinema e História da UFRB. Alunos envolvidos: Graduação (08), Santiago do Iguape (07). 

Coordenação: Amaranta Cesar, Ana Rosa Marques e Isabel Reis. Financiador(es): Ministério da Educação e Cultura – Auxílio financeiro.

Videoclipes no Recôncavo – Cartografia audiovisual da produção musical do Recôncavo da Bahia

O projeto é uma das atividades de elaboração de conteúdos da disciplina de Produção (prof Claudio Manoel), em articulação interdisciplinar com Oficinas Orientadas de Audiovisual I (prof. Adriano Oliveira). A articulação dessa disciplina tem caráter interdisciplinar, elegendo um produto único, o videoclipe. O cenário, o recôncavo baiano, é uma paisagem multimusical. Resguarda variados, complexos e ricos gêneros, num leque que envolve desde o samba de roda e samba chulo, de distintas estéticas de grupos musicais originados do candomblé, corais religiosos, cantores românticos, filarmônicas, o reggae e poprock. O objetivo principal é a produção de uma coletânea on line de videoclipes com artistas musicais do recôncavo baiano. Como objetivos específicos, pretende-se contribuir com o mapeamento de obras dos músicos, cantores e grupos musicais; incrementar a difusão/divulgação desses artistas com a circulação de seus videoclipes em redes digitais; exercitar a produção, em equipe, e a direção focada na linguagem do videoclipe, como expressão do audiovisual; e, ainda, experimentar, do ponto de vista da narrativa, as inúmeras possibilidades estéticas a que se propõe um videoclipe, como produto que dialoga com a bricolagem, a ficção, a animação, o mushup e a documentação. Alunos envolvidos: Graduação: (25). 

Coordenação: Claudio Manoel Duarte e Adriano Oliveira.

Fim do conteúdo da página