Ir direto para menu de acessibilidade.
Portal do Governo Brasileiro
Início do conteúdo da página

MAIS QUE TRAÇOS E CORES - em memória de Roberto Ataíde

03/2014
netvídeo
MAIS QUE TRAÇOS E CORES - em memória de Roberto Ataíde é um netvideo que coleta e analisa a obra do artista plástico alagoano Roberto Ataide, falecido em 1995, a partir de depoimentos de amigos, curadores e críticos de arte. Roberto Ataíde marcou, com uma curta trajetória e poucas obras, a cena das artes plásticas em Alagoas com um abstrato "atualizado" que explora de forma intensa a volumetria e o colorismo, associado a traços imprecisos onde o escopo das cores fortes se confundem, gerando novos tons. Esses traços propositadamente imprecisos terminam por criar silhuetas onde o abstrato dialoga com o figurativo e vice-versa. Ataíde usa de várias técnicas em seu percurso na pintura e desenho: carvão, óleo, acrílica, pastel... e com técnicas tradicionais com pincel, mas explorar também os dedos como ferramentas para sua pintura. Roberto ataíde, nascido em 62, era arquiteto e iniciou sua carreira como estudante de Desenho e Pintura na Fundação Pierre Chalita (1981-85). Vítima da aids, faleceu em 1995. Estudou Serigrafia, Desenho Livre com Jadir Freire e fez diversos cursos no campo da arte, dentre eles o Curso de Criatividade, Análise Crítica e Problemas de Composição na Linguagem Visual, com Fayga Ostrower. Em meados dos anos 80 foi Técnico de Artes Plásticas do SESC. Participou de várias exposições coletivas. Em 1982, no Concurso Carlos Moliterno (IHGA) recebeu o prêmio de 1º lugar. Neste mesmo ano conquistou o 1º lugar no concurso Graciliano Ramos de Artes Plásticas, promovido pela UFAL. Ataíde está na seleção de artistas na publicação Arte Alagoas II, publicada pela Fundação Casa de Rui Barbosa, Rio de Janeiro, que teve curadoria de de Lula Nogueira e Tânia Pedrosa. Recebeu o prêmio Industrial Ernesto Maranhão" com a aquarela A Ilha, em homenagem aos 70 anos do poeta Carlos Moliterno. Pouco documentado, no entanto, e com uma curtíssima carreira, Ataíde deixou marcas profundas (e desconhecidas do grande público) trazidas por seu trabalho de pintor, criando um caminho próprio estético, principalmente num “semi-abstracionismo” onde pesquisava volumes. Blog: robertoataide.wordpress.com/
13
16/9
HD
FICHA TÉCNICA Direção: Cláudio Manoel Duarte depoimentos: Alexandre Toledo Cármen Lúcia Dantas Geisa Brayner Rogério Gomes Ricardo Maia Socorrinho Lamenha argumento: Cármen Lúcia Dantas Cláudio Manoel Duarte guião: Cláudio Manoel Duarte fotografia/câmera: Gleydson Públio edição Gleydson Públio Cláudio Manoel Duarte ator convidado Giuliano Porto trilha sonora original Dj Angelis Sanctus aka Cláudio M. produção/Alagoas Cármen Lúcia Dantas Alexandre Toledo produção/Bahia Cláudio Manoel Duarte Gleydson Públio realização O imaginário é Tv produção Nosso Bolso Produções Artísticas Duração: 24 minutos gravado em Maceió (AL) editado em Salvador (BA) Brasil – 2014 *Este vídeo tem aplicação de selo CC - Creative Commons para uso livre e não comercial
Fim do conteúdo da página