Muita fé e amor marcam festa de São Bartolomeu em Maragojipe

Por Laís Martins

São Bartolomeu

A centenária festa em homenagem a São Bartolomeu na cidade de Maragojipe mobiliza toda a cidade durante o mês de Agosto, desde a morte do padroeiro do município baiano. Lavagem do templo, concurso de filarmônicas locais, novenas, missas fazem parte da programação que começa com o Bando Anunciador no primeiro domingo do mês.

Homens e mulheres, participantes do Bando, desfilam pelas principais ruas da cidade montados em cavalos e acompanhados pelas filarmônicas Dois de Julho e Terpisícore de Maragojipe para entregar aos moradores da cidade os folhetos com a programação da festa, que carrega uma tradição que vai além do catolicismo e do candomblé.

“Sem a ajuda do povo não se faria a festa aqui. Ela é realizada pelos maragojipanos com muita fé e amor a São Bartolomeu”, destaca o padre Reginaldo Almeida de Moraes, que está à frente da Paróquia de Maragojipe há 15 anos.

História

Com a intensificação do domínio português e a proliferação das casas de engenho e farinha na cidade, os senhores de origem portuguesa passaram a fazer de tudo para demarcar poder. Assim foi com o Bartolomeu Gato de Castro que inventou uma história para que os católicos reverenciassem outro santo, pois, até o 1640, o padroeiro da cidade era São Gonçalo.

Gato mandou um escravo afirmar ter visto um homem alto, de pele escura e de cabelos cumpridos – atributos físicos de São Bartolomeu – onde mais tarde foi edificada a igreja do Padroeiro. Com a suposta aparição, a população foi convencida a reverenciar São Bartolomeu e, logo depois, trocou a modesta capela de São Gonçalo pelo prédio da Matriz de São Bartolomeu.

Turismo

A cidade recebe muitos turistas durante as festividades; calcula-se que cerca de 80 mil pessoas passam por Maragojipe neste período. “Acredita-se que São Bartolomeu foi escolhido como padroeiro de Maragojipe devido à pobreza e ao sofrimento da população local, que via no martírio do santo o seu próprio e, assim, acreditava que ele poderia aliviar suas dores”, esclarece Luiz Carlos Conceição, que é membro da comissão organizadora da festa e secretário da Paróquia São Bartolomeu.

Comemorações

As missas, procissões e novenários fazem parte do calendário religioso, bancado pela população de Maragojipe. Organizada pela Irmamndade de Bartolomeu, rifas e bingos levantam os recursos para bancar o novenário, as flores dos adros das missas, novenas e procissão, além de outros gastos, tudo isso para reverenciar com louvor o padroeiro tão querido pelos Maragojipanos.

Dentre as comemorações religiosas que ocorrem na cidade, há também as celebrações profanas, como são chamados os shows que ocorrem em homenagem a São Bartolomeu. Muitas bandas famosas contribuem para a alegria do povo simples e devoto, que nunca deixa de agradecer ao padroeiro por mais um ano entre ganhos e perdas. São esses costumes religiosos e tradicionais que faz da Bahia um grande tesouro cultural incomparável.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *