O futebol amador do Rec√īncavo √© para se reconhecer

O futebol do interior tamb√©m tem seu valor. Est√°dio lotado, buzina na m√£o de torcedores vestidos com a camisa do seu time, charangas tocando, papel picado voando… Poderia ser um jogo de Copa do Mundo, mas n√£o, pelo menos oficialmente. O est√°dio Municipal Ant√īnio Carlos Magalh√£es, em Santo Amaro, na Bahia, foi palco da 61¬™ final do campeonato intermunicipal de futebol amador da Bahia, disputado … Continuar lendo O futebol amador do Rec√īncavo √© para se reconhecer

Mulheres negras nos espaços acadêmicos: Sim, elas existem!

Nos √ļltimos anos, o n√ļmero de universidades p√ļblicas no Brasil tem crescido pertinentemente. O ingresso de jovens negros e ind√≠genas tem sido poss√≠vel devido a implanta√ß√£o das pol√≠ticas p√ļblicas que buscam assegurar a inclus√£o racial nesses espa√ßos que, at√© ent√£o, foram ocupados durante d√©cadas exclusivamente por indiv√≠duos brancos. Ainda assim, hoje √© poss√≠vel notar a presen√ßa dominante de mulheres nas academias, comparada a participa√ß√£o masculina. … Continuar lendo Mulheres negras nos espa√ßos acad√™micos: Sim, elas existem!

Mulheres negras nas Universidades: o que est√° por tr√°s dos indicadores

¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬† Camilla Souza A participa√ß√£o de mulheres negras com doutorado nas cadeiras das universidades do pa√≠s, assunto pouco abordado entre os acad√™micos de modo geral, √© discutida no artigo: ‚ÄúDoutoras professoras negras: o que nos dizem os indicadores oficiais‚ÄĚ, publicado em 2010 por Joselina Barbosa, negra e doutora em Ci√™ncias Sociais pela Universidade do Estado do Rio de Janeiro, UERJ. Na an√°lise, dados levantados em … Continuar lendo Mulheres negras nas Universidades: o que est√° por tr√°s dos indicadores

Mulheres nas Engenharias: A conquista de um espaço antes tido tradicionalmente como masculino

As mulheres est√£o provando que o mercado est√° mudando, bem como a engenharia como conhecemos e estamos acostumados. Por Thielly Cristine Cassiano No senso comum da sociedade patriarcal, desde pequenos somos ensinados sobre qual √© o papel e fun√ß√£o da mulher. Aprendemos que a mulher deve cuidar da casa e dos filhos e os homens devem prover a fam√≠lia, trabalhando fora de casa e conquistando … Continuar lendo Mulheres nas Engenharias: A conquista de um espa√ßo antes tido tradicionalmente como masculino

Elas também podem

                                                                                                                                                                                             Natália Lima

Ainda hoje, podemos perceber a forte desigualdade entre homens e mulheres no mercado de trabalho, principalmente nas √°reas de ci√™ncias e tecnologias. Como diz a autora Elizabeth Bortolaia, no texto ‚ÄúDes-construindo g√™nero em ci√™ncia e tecnologia‚ÄĚ: ‚Äú√Č comum se ouvirem explica√ß√Ķes simplistas sobre a realidade de que as coisas s√£o do jeito que s√£o em virtude de homens serem homens e mulheres serem mulheres.‚ÄĚ A naturalidade com que essa divis√£o √© vista pela sociedade causou profundas conseq√ľ√™ncias psicol√≥gicas, de comportamento e sociais.

Elas Fundo de Investimento Social, √© um projeto que h√° mais de 15 anos, investe exclusivamente nos direitos e no protagonismo feminino ao doar recursos para grupos informais e formais e organiza√ß√£o de mulheres em todo Brasil, al√©m de promover seu fortalecimento institucional. S√£o milhares de mulheres de diferentes etnias, ra√ßas, orienta√ß√Ķes sexuais, hist√≥rias de vida e perspectiva direta e indiretamente apoiadas todos os anos em projetos que somam diversidade, transversalidade e inova√ß√£o.

Entre esses projetos foi criado o ‚ÄúElas nas Exatas‚ÄĚ que tem o objetivo de contribuir para redu√ß√£o do impacto das desigualdades de g√™nero nas escolhas profissionais e no acesso √† educa√ß√£o superior das estudantes. √Č a primeira vez que o ELAS lan√ßa um concurso com foco em educa√ß√£o, ci√™ncias exatas e tecnologias.

Lan√ßado no de 03 de agosto de 2015, o concurso recebeu 173 propostas de todo o pa√≠s. Foram selecionados 10 projetos que ser√£o realizados com alunas do ensino m√©dio de escolas p√ļblicas e voltados para estimular as meninas a se envolverem com as ci√™ncias exatas e tecnologias, sensibilizando a gest√£o escolar. Oficina de circuitos el√©tricos, aula-performace sobre mulheres cientistas, capacita√ß√£o em rob√≥tica, programa√ß√£o com software livre, produ√ß√£o de webseries sobre a atua√ß√£o de mulheres negras na hist√≥ria das ci√™ncias, cria√ß√£o de peixes e hortali√ßas com uso da t√©cnica aquaponia e capacita√ß√£o na √°rea automobil√≠stica atrav√©s do desenvolvimento de um ve√≠culo s√£o algumas das a√ß√Ķes previstas nos projetos aprovados. Cada projeto receber√° 30 mil reais. Todas as informa√ß√Ķes est√£o na pagina ‚ÄúElas Fundo de Investimento Social‚ÄĚ no facebook.

13600360_562860787229553_678781479354984197_n
Foto tirada da p√°gina Nativas Digitais no facebook

Entre os aprovados est√° o projeto, Nativas Digitais da Funda√ß√£o Casa Paulo Dias Adorno, localizada em Cachoeira-Ba. Que tem como objetivo especializar meninas na √°rea de ci√™ncias exatas e tecnologia. O projeto foi aprovado em 2¬į lugar, o que sem d√ļvidas √© motivo de grande orgulho para o povo cachoeirano. Em entrevista, Marcelino Gomes de Jesus, diretor da funda√ß√£o, relatou que foi feita uma parceria com Col√©gio Estadual da Cachoeira (CEC), onde est√£o sendo realizadas as aulas, todos os s√°bados. A sele√ß√£o foi feita atrav√©s de um question√°rio que foi passado em todas as salas de aulas do col√©gio, onde foram selecionadas 27 meninas, o curso iniciou no dia 12 de mar√ßo de 2016 e tem a durabilidade de 9 meses. Marcelino concluiu dizendo: ‚ÄúNosso objetivo √© mostrar para essas meninas que elas s√£o capazes de trabalhar onde elas quiseram.‚ÄĚFoto tirada da p√°gina Nativas Digitais no facebook

√Č atrav√©s de projetos como esse que o mundo pode se tornar mais igualit√°rio. Dando as mulheres a oportunidade de mostrar que elas s√£o capazes de esta onde elas quiserem. E mostrar para a sociedade que a diferen√ßa de g√™nero n√£o interfere nem para melhor, nem para pior nos seus atos. Para Elizabeth Bortolaia ‚Äú√Č tempo de mudar a nossa maneira de conceber as diferen√ßas sociais se quisermos que as nossas realidades n√£o sejam totalizadoras e que as nossas vidas reflitam as possibilidades de n√£o-domina√ß√£o. A quest√£o n√£o √© apenas de diferen√ßa entre homens e mulheres, mas, sobretudo de desigualdade. A preserva√ß√£o e o cuidado com as diferen√ßas √© a parte do projeto de reconstru√ß√£o de um mundo mais igualit√°rio.‚ÄĚ

 

 

https://www.facebook.com/projetonativasdigitais/?fref=ts

https://www.facebook.com/fundosocialelas/?fref=ts

https://www.facebook.com/paulo.diasadorno?fref=ts

Continuar lendo “Elas tamb√©m podem”

Professoras doutoras negras: um caso de sucesso e representatividade no Rec√īncavo

Por: Jamile Novaes Segundo indicadores do Sistema Nacional de Avalia√ß√£o da Educa√ß√£o Superior (Sinaes) e Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais An√≠sio Teixeira (Inep), at√© o ano de 2005, dos 63.234 docentes do ensino superior, 1.659 eram mulheres negras e, dentre essas, apenas 251(0,4%) possu√≠am o t√≠tulo de doutorado. Tais dados retratam uma limita√ß√£o existente no acesso de mulheres negras √† universidade. Mesmo entre … Continuar lendo Professoras doutoras negras: um caso de sucesso e representatividade no Rec√īncavo

M√£e Lita conta a import√Ęncia de parir seus filhos em casa com parteiras

I√™da Maria Brito Parteira √© um t√≠tulo mais antigo do profissional que chamamos de obstetriz. Ao longo dos anos, baseando-se em novas filosofias, houve mudan√ßas, na denomina√ß√£o e na √°rea de atua√ß√£o dessas profissionais. Passando de parteira para obstetriz (1925) e finalmente a enfermeira obstetra (1949). At√© 1932, no Brasil, a pratica da profiss√£o era exercida por mulheres possuidoras de ‚ÄúCerta experi√™ncia de Examina√ß√£o das … Continuar lendo M√£e Lita conta a import√Ęncia de parir seus filhos em casa com parteiras

Mulheres negras no mercado de trabalho baiano

¬†Por Karla Souza ¬† As mulheres negras s√£o a maioria da popula√ß√£o da Bahia, 51,8% no estado mais negro do pa√≠s, 79,3% segundo o IBGE na S√≠ntese de Indicadores Sociais, em 2015. A maior parcela no trabalho informal e na frequ√™ncia ao ensino superior tamb√©m s√£o as mulheres, no entanto, recebem em m√©dia R$302 a menos que os homens. Enquanto o rendimento m√©dio das pessoas … Continuar lendo Mulheres negras no mercado de trabalho baiano

O limitado n√ļmero de docentes doutoras negras

No√©zia Teixeira No Brasil, de 63.234 docentes na educa√ß√£o universit√°ria, apenas 251 mulheres s√£o professoras doutoras negras, informa Joselina da Silva, no texto Doutoras Professoras negras: o que nos dizem os indicadores oficiais, com base no Sistema Nacional de Avalia√ß√£o da Educa√ß√£o Superior – Sinaes,¬† at√© o ano 2005. A autora do texto aponta o dedo para aqueles que desenvolvem estudos sobre a educa√ß√£o no … Continuar lendo O limitado n√ļmero de docentes doutoras negras

A desconstru√ß√£o de g√™nero na inf√Ęncia

Aline Ogasawara   As discuss√Ķes a respeito de g√™nero v√™m ganhado bastante espa√ßo atualmente. A luta feminista traz √† tona quest√Ķes que s√£o tratadas como naturais na sociedade, mas que precisam ser discutidas para que se alcance uma igualdade de g√™nero. A inser√ß√£o do indiv√≠duo no meio social come√ßa na unidade prim√°ria: a fam√≠lia. Como os ideais de desconstru√ß√£o de g√™nero desse movimento contribuem para … Continuar lendo A desconstru√ß√£o de g√™nero na inf√Ęncia

Em oito anos, cargos de supervis√£o ocupados por mulheres crescem 13% na Embrapa

Diego Azevedo A Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecu√°ria (Embrapa), segundo seu site, √© uma institui√ß√£o p√ļblica de pesquisa vinculada ao Minist√©rio da Agricultura, Pecu√°ria e Abastecimento do Brasil. Tem como objetivo o desenvolvimento de tecnologias, conhecimentos e informa√ß√Ķes t√©cnico-cient√≠ficas voltadas para a agricultura e pecu√°ria brasileira. Tem como miss√£o viabilizar solu√ß√Ķes de pesquisa, desenvolvimento e inova√ß√£o para a sustentabilidade da agricultura, em benef√≠cio da sociedade … Continuar lendo Em oito anos, cargos de supervis√£o ocupados por mulheres crescem 13% na Embrapa